Entenda o que é a logística reversa e confira exemplos práticos

7 minutos para ler

Muito se fala sobre a importância da logística e suas contribuições para que os resultados da empresa sejam aprimorados. Esse é um dos motivos pelos quais essa área deixou de ser vista apenas como operacional e passou a ser parte fundamental da estratégia do negócio.

Contudo, é preciso ressaltar que existe uma outra questão igualmente importante e que precisa de atenção: o fluxo inverso. No artigo de hoje vamos falar o que é a logística reversa, como ela funciona e os benefícios que proporciona. Confira!

O que é a logística reversa?

Na prática, podemos dizer que é o processo de retorno de um produto à cadeia de suprimentos, seja pelo desejo do cliente de devolver ou trocar o produto, seja pela impossibilidade de a correspondência ou encomenda chegar ao destinatário.

Também vale citar que se encaixa nesse contexto a obrigação que as empresas possuem de cuidar dos resíduos provenientes de suas mercadorias — como, por exemplo, pneus usados, pilhas gastas e garrafas vazias. É importante ressaltar que tudo isso demanda trabalho de transporte e realocação de volumes nos depósitos.

Como ela funciona?

Se por um lado o fluxo tradicional é responsável por controlar o fluxo de entregas desde as empresas até o destino final, por outro a logística reversa faz o processo contrário — como o próprio nome sugere.

Nesse caso, a atividade se inicia no ponto de entrega (ou em algum intermediário) e finaliza na empresa ou em algum parceiro de negócios — quando se trata da destinação e descarte correto dos produtos.

Entretanto, vale ressaltar que essa gestão não faz apenas o controle do transporte desses itens. Ela também é responsável por planejar, implementar e monitorar os processos, além de controlar o fluxo de informações.

Como ela pode ser aplicada?

Primeiramente, é preciso ter a ciência de que a rotina de logística reversa não é a mesma de quando se planeja o transporte e as entregas normais. Portanto, o primeiro passo é criar e estruturar novos processos internos que tornarão a execução mais eficaz.

Outro ponto importante é contar com parceiros de negócios que sejam confiáveis e que desempenharão um papel fundamental no cumprimento do planejamento que foi elaborado. Para isso, é crucial realizar uma análise das transportadoras e verificar se elas possuem condições de entregar um serviço de qualidade.

Se for possível usar as que já são parceiras da sua empresa, essa é uma maneira de aprimorar o planejamento de rotas e, ao mesmo tempo, aumentar a eficiência das entregas e reduzir custos.

Quais são as consequências de uma má gestão?

A ausência de cuidados com a questão da logística reversa pode causar inúmeros problemas para uma empresa. Eles vão desde prejuízos significativos com o rearmazenamento a reclamações de clientes geradas pela falta de organização da cadeia de suprimentos, o que certamente impacta no atendimento ao consumidor final.

Uma pesquisa feita em 2014 pelo Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB) reuniu 188 empresas e constatou que, aproximadamente, 10% dos produtos vendidos em diversas modalidades de comercialização voltam para as fases iniciais do Supply Chain.

Insatisfação por parte dos clientes (32%), vícios de confecção (26%) e pedidos feitos com erros (11%) lideram as estatísticas. Boa parte das perdas que recaem sobre os comerciantes e fornecedores ocorrem devido aos desafios que os gestores enfrentam.

Entre eles podemos citar:

  • a imprecisão da previsão de demanda;

  • as dificuldades em fornecer informações assertivas para os consumidores;

  • os múltiplos locais que não estariam nas rotas das equipes de transporte;

  • os empecilhos em tratar com os diversos prazos envolvidos;

  • as trocas e devoluções dos clientes;

  • a difícil questão do rearmazenamento dos produtos que precisaram retornar ao início da cadeia.

Como evitar problemas?

A inversão logística é algo realmente complexo de ser totalmente eliminado, pois passa por questões de relacionamento com o cliente — o que faz com que os problemas nem sempre sejam evitáveis — e da sustentabilidade.

Algumas medidas podem ser tomadas para diminuir os prejuízos. Confira:

  1. A empresa deve se preocupar em investir em TI, na intenção de padronizar e mapear os processos, de forma que o tempo que as mercadorias ficam paradas diminua e que as ações de logística reversa se tornem mais previsíveis.

  2. Fazer o possível para que o cliente obtenha o máximo de informações sobre os produtos — como medidas envolvidas, matéria-prima utilizada, questões sobre tecnologia embarcada, etc. Além disso, ela deve procurar oferecer mercadorias com níveis de qualidade superiores, de forma que a deterioração delas seja a menor possível — isso deixará a clientela mais satisfeita.

Quais benefícios ela proporciona para a empresa?

1. Melhoria dos processos

Como sua implementação requer melhorias na execução das atividades e a criação de novos métodos de trabalho, pode-se afirmar que a logística reversa ajuda a garantir o aprimoramento dos processos e dos resultados de uma empresa.

Essa é uma forma de garantir que a rotina será eficaz e que o empreendimento passará a oferecer um serviço com maior qualidade para os clientes — já que no caso das trocas e devoluções é possível mensurar o índice de erros e encontrar ações para solucionar os problemas.

2. Adequação à legislação

Ao mesmo tempo em que a preocupação e o cuidado com o meio ambiente têm aumentado, as leis também estão se tornando mais rígidas, fazendo com que as empresas tenham que adequar seus processos — principalmente no caso do descarte de produtos.

3. Melhora na imagem da empresa

Nesse sentido, a empresa pode explorar a imagem de que é sustentável e fazer com que os clientes aumentem a percepção positiva do negócio.

4. Redução de custos

Em parte, ela se dá por meio do aproveitamento dos veículos que saem para entregas e retornam vazios. Assim, eles podem aproveitar o percurso feito na volta para fazer as coletas necessárias.

Em outros casos, é possível alcançá-la por meio do reaproveitamento de embalagens — como no caso dos paletes e quando as empresas de bebida recolhem as garrafas para utilizá-las novamente.

5. Aumento da satisfação dos clientes

As trocas e devoluções podem se tornar um grande motivo de estresse com os clientes, prejudicando a relação comercial e criando uma imagem negativa do negócio. Um dos maiores motivos para que isso aconteça é a demora em trocar informações e resolver o problema.

Com isso, a logística reversa é aproveitada para que todo o processo possa ser finalizado em menor tempo, desde que esteja integrada a outros setores da empresa que também estejam envolvidos nessas questões — como o SAC, a área comercial e o estoque, por exemplo.

Entender o que é a logística reversa, como ela pode ser implantada e como a empresa será beneficiada é o primeiro passo para alcançar a evolução, aumentar a vantagem competitiva e conquistar cada vez mais clientes!

E então? Este artigo foi útil para você? Que tal compartilhá-lo em suas redes sociais para que mais pessoas saibam o que é a logística reversa?

Posts relacionados

Deixe uma resposta