3 ferramentas para controle de estoque que você tem que conhecer

Um dos processos mais complexos e onerosos é a gestão do seu inventário, tanto de insumos como de produtos acabados. Por isso, é fundamental contar com metodologias e ferramentas para controle de estoque que sejam capazes de fornecer informações precisas.

Custos elevados, desperdício de materiais e retrabalhos são inaceitáveis em uma empresa que deseja permanecer competitiva em seu ramo de atuação. Por esse motivo, criamos uma lista de ferramentas que podem ser adotadas para aumentar a eficiência.

Continue lendo para conhecer como melhorar os resultados do gerenciamento de estoque!

 

Qual é a importância do acompanhamento do estoque?

Em primeiro lugar, os estoques estão relacionados diretamente com o resultado financeiro obtido pela indústria. Ou seja, quanto maiores os seus níveis, maior será a imobilização de capital que poderia ser direcionado para outros investimentos.

Portanto, o objetivo dos gestores é alcançar um equilíbrio entre a disponibilidade de produtos e o atendimento da demanda. Para atingir esse resultado, a adoção de ferramentas eficientes é um fator primordial.

 

Quais ferramentas para controle de estoque oferecem melhores resultados?

Existem diversas formas de gerenciar o estoque, seja por meio de processos internos, seja por meio do gerenciamento de estoque conduzido pelo fornecedor. Isso representa um avanço importante para garantir a otimização dos resultados.

 

  • 1. Etiquetas e códigos de barras

A utilização de código de barras no comércio varejista é ampla. O que poucas pessoas sabem é que a sua aplicação na indústria também pode ser bem-sucedida.

O seu funcionamento inclui a utilização de leitores de códigos de barras que são acionados quando os itens entram no estoque e são registrados no sistema. O mesmo ocorre no momento da saída, no qual há a baixa do material. Esse método torna o controle mais preciso e ágil, evitando erros nos registros.

 

  • 2. Just in time

Esse método de controle de estoque teve origem na Toyota e foi desenvolvido entre as décadas de 1960 e 1970. Esse período foi marcado pela recuperação do Japão após a Segunda Guerra Mundial, portanto, havia a necessidade de racionalizar recursos e evitar o desperdício de materiais.

O just in time envolve todo o processo de abastecimento, pois determina que a reposição de insumos deve ocorrer somente quando necessário. Essa medida evita o acúmulo de materiais armazenados e reduz os custos para a sua manutenção.

 

  • 3. Sistema de gestão integrada

Como o objetivo da gestão do estoque é acompanhar a quantidade disponível, tanto de matérias-primas como de mercadorias acabadas, a sua precisão é fundamental. Por isso, os sistemas de ERP, cuja sigla significa Enterprise Resource Planning, ou Sistema Integrado de Gestão Empresarial, foram desenvolvidos para essa finalidade.

A palavra-chave aqui é integração, com isso, é possível:

  • cadastrar materiais e fornecedores;

  • calcular a margem de lucro sobre os custos;

  • registrar as entradas e saídas de materiais;

  • contabilizar o custeio de aquisição de insumos.

Enquanto os controles manuais ainda são amplamente utilizados, os sistemas informatizados agilizam os processos e organizam as informações.

É importante destacar que todas as ferramentas para controle de estoque citadas neste post são compatíveis com o Vendor Managed Inventory (VMI). Se a sua indústria oferece esse tipo de serviço aos clientes, pode-se, inclusive, combinar mais de um método para personalizar o atendimento.

Continue aprimorando os seus conhecimentos logísticos. Confira o nosso post sobre a relevância estratégica da logística interna da empresa!

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701    

Não sabe como reter clientes? Confira 5 dicas imperdíveis!

Aprender como reter clientes é fundamental em qualquer indústria. Um dos principais motivos é que custa muito mais caro atrair clientes novos do que reter os antigos. 

Algumas mudanças pequenas no atendimento podem ter grande impacto na percepção que os consumidores têm da qualidade do serviço e fazer a diferença entre uma clientela fiel e uma alta taxa de abandono da marca.

Pensando bem, a diferença entre as empresas que crescem e as que ficam estagnadas é justamente a retenção de clientes. Quanto mais consumidores você reter, maiores as chances de atingir objetivos do negócio e de aumentar faturamento e lucros.

Neste artigo, você vai conhecer 5 dicas certeiras de quem entende como reter clientes. Confira!

 

Dicas sobre como reter clientes

 

  • 1. Fique de olho no atendimento oferecido

Sua equipe de atendimento é a linha de frente do seu negócio e, por isso, é a mais importante. É ela quem interage diretamente com seus clientes, fontes de receita da empresa. Assim sendo, os vendedores, a assistência técnica e a equipe do SAC devem passar por um processo de recrutamento rigoroso e serem submetidos a treinamentos constantes.

Seus gerentes devem fornecer prioridades claras e manter a equipe motivada. Reclamações de clientes insatisfeitos são uma oportunidade para entender melhor o que está acontecendo no atendimento.

 

  • 2. Cuide da reputação

Mais gente do que você imagina pesquisou o nome da sua empresa no Google antes de comprar ou entrar em contato. Muitos clientes podem recorrer a sites terceirizados de reclamações ou às redes sociais para criticar seus produtos ou serviços. Um atendimento proativo identifica essas manifestações, reage rapidamente e com educação e convida o cliente a resolver o problema por meio de mensagens privadas. Quando bem-feito, pode converter uma pessoa insatisfeita em um fã da marca.

 

  • 3. Conheça o cliente a fundo

Não é possível atender bem a pessoas que a gente não conhece. Entender como reter clientes é, em essência, aprender sobre os seus consumidores, e não sobre os dos outros. Um conceito importante nesse aspecto é o Jobs to be Done, que enfatiza aprender para qual serviço os clientes “contratam” seus produtos. Uma boa base de dados, organizada por um CRM, também ajuda.

 

  • 4. Seja realista

Todo relacionamento é baseado na confiança. Por outro lado, uma das bases da confiança é cumprir as expectativas. Portanto, não prometa mais do que pode cumprir. Se você promete entregar em 20 dias e cumpre, o cliente estará mais satisfeito do que se prometer em 10 dias e atrasar. Lembre-se de que contamos experiências negativas para mais gente do que as positivas.

 

  • 5. Mantenha o estoque em dia

Cumprir expectativas e atender às necessidades dos clientes exige ter produtos em estoque. É frustrante separar dinheiro para fazer uma compra e descobrir que a mercadoria está em falta. Em vez de mostrar que os produtos estão concorridos, a falta de estoque pode levar a clientela a pensar que sua empresa é mal-organizada ou não está em boa situação financeira ou logística. Pior ainda, motiva o cliente a comprar em outro lugar.

Aprender como reter clientes é um exercício diário. Estar sempre atento às mudanças no comportamento dos consumidores e se adaptar a elas também faz parte. Em um mundo de progresso tecnológico cada vez mais acelerado, o que era verdade há cinco anos pode mudar de repente. É a atenção ao cliente que vai fazer a diferença.

Como você já entende a importância de reter clientes, aproveite para conhecer uma ferramenta importante: o que é CRM e como ele pode ajudar sua empresa.

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701

Big Data na logística: veja como está revolucionando o setor

A aplicação do big data na logística é um dos termos relacionados à tecnologia de informação mais importantes do momento. As empresas têm recorrido a esse tipo de programa para obter fontes confiáveis de dados, que podem ser utilizados na formulação de estratégias para melhorar o seu desempenho.

Mesmo que você não tenha conhecimento de como o big data pode ser utilizado no dia a dia, provavelmente já viu a ferramenta em ação. Sabe aqueles anúncios em sites visitados que demonstram outros produtos que foram pesquisados anteriormente? Então, esse é um dos usos mais simples para os dados coletados online.

Se você tem interesse em conhecer como a operação de transportes pode ser aprimorada, continue lendo!

 

O que é big data?

Como o próprio nome já sugere, trata-se de uma grande massa de dados coletados provenientes de várias fontes, principalmente da internet. A sua utilização tem o objetivo de melhorar a gestão e a performance de negócios no segmento logístico.

O seu funcionamento depende de 5 pilares ou 5 V’s:

  1. volume: relaciona a captura de um amplo volume de dados para análise posterior;

  2. variedade: os dados podem ser estruturados e não estruturados, como mensagens, vídeos, sons e fotos;

  3. velocidade: possibilita o estudo de um fenômeno ou comportamento em tempo real para viabilizar a tomada de decisão;

  4. veracidade: indica a qualidade da informação coletada, pois se baseia em interações; 

  5. valor: além da ampla disponibilidade de informações, é importante compreender esse conteúdo para gerar valor para o negócio.

 

Qual é o impacto do big data na logística?

Essa é uma ferramenta extremamente valiosa quando bem utilizada e pode resultar em melhorias significativas na qualidade dos serviços e na satisfação dos clientes.

 

  • Ajuda a traçar perfis de cliente

Hoje, quanto maior a quantidade de informações sobre o mercado consumidor, melhor. Além de dados demográficos, como o endereço da empresa e o seu segmento de atuação, é necessário conhecer o seu histórico de transações. Esses dados fornecem indicações de:

  • quando há oscilação na procura;

  • como os produtos são utilizados;

  • qual é a frequência de reposição;

  • qual é a necessidade de pedidos personalizados.

 

  • Contribui para a antecipação das necessidades do consumidor

Com uma profunda compreensão do comportamento do cliente, o big data possibilita a melhoria do atendimento baseado na antecipação das demandas. O objetivo nesse cenário é facilitar o trabalho do consumidor. Um dos exemplos mais claros é a gestão do estoque do cliente feita pelo fornecedor. Esse método também é conhecido como Vendor Managed Inventory (VMI), e ajuda a programar o abastecimento, somente conforme a necessidade.

 

  • Propicia a otimização das entregas

A atividade de distribuição de mercadorias exige dedicação ao seu controle para assegurar que os pedidos sejam entregues dentro do prazo. Porém, durante o trajeto, o motorista está sujeito a mudanças na intensidade do trânsito, problemas mecânicos e falta de eficiência da rota. Desse modo, os sistemas de GPS e roteirização ajudam a acompanhar a entrega em tempo real e traçar o trajeto mais ágil até o destino.

Para que o big data na logística obtenha os resultados esperados, é fundamental vencer a resistência contra a tecnologia. Esse resultado pode ser alcançado com a qualificação da equipe para o melhor aproveitamento dessa ferramenta.

Você quer conhecer mais sobre a relação entre tecnologia e logística? Se você quer saber como o seu negócio pode sair na frente da concorrência com esse tipo de aplicação, entre em contato conosco por meio de nosso site e conheça as nossas soluções.

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701    

Experiência do usuário: por que é essencial para a retenção de clientes?

A experiência do usuário se refere a toda jornada de interação que um cliente tem com uma determinada empresa — desde o primeiro contato com uma peça de outdoor, por exemplo, até a pós-venda de um produto ou serviço.

Para entregar uma experiência diferenciada, é necessário trabalhar os pilares essenciais do conceito, tais como: usabilidade, fluxos de interação, conteúdo e estética. Desenvolvê-la corretamente traz vantagem competitiva, bem como outros benefícios.

Para que você entenda a importância da experiência do usuário, neste artigo, mostramos como a estratégia pode influenciar diretamente na retenção de clientes do seu negócio. Continue lendo e confira!

 

Por que a experiência do usuário é importante

 

  • Cria uma boa impressão e reputação da sua marca

“A primeira impressão é a que fica!”: com certeza você já ouviu e até mesmo usou esse ditado para exemplificar que gostou de algo devido à interação inicial.

Esse conceito de “primeiro contato” também é bastante utilizado no mundo corporativo. Quando o cliente recebe um atendimento acima da média e um serviço em excelência na primeira vez, as chances de ele se tornar um promotor voluntário da sua empresa são altíssimas. Quanto maior a satisfação do usuário, melhor para a reputação da sua marca.

 

  • Melhora o atendimento

Quando você trabalha com o conceito do customer experience, precisa investir para que todos os funcionários entreguem um atendimento de qualidade. Isso é uma das peças-chave da estratégia: colaboradores focados e preparados como se fossem os donos do negócio.

Assim, naturalmente, o bom atendimento se torna uma constante e os clientes passam a enxergar o excelente trabalho como um padrão da empresa.

 

  • Otimiza os recursos

Outro segredo para o sucesso da experiência do usuário é o estudo prévio sobre o perfil, as necessidades e as expectativas dos clientes. Isso permite que a empresa trabalhe com a vantagem de informações privilegiadas.

Com isso, o gestor direciona os investimentos (financeiros e de pessoal) para as áreas que podem trazer melhores resultados junto ao usuário. Ou seja, a taxa de desperdício de recursos diminui consideravelmente, permitindo que a empresa potencialize os seus ganhos ao mesmo tempo em que controla os seus gastos.

 

  • Alinha os processos internos

Uma verdadeira estratégia de experiência do usuário só acontece quando o gestor realiza um alinhamento de todos os processos da empresa. E a razão disso é bem fácil de entender: se o cliente não obtiver a mesma qualidade em toda a sua jornada, então ele não tem uma experiência diferenciada.

Nesse sentido, alinhar os setores e suas principais atividades é uma prática básica e primordial na implementação. Entre os principais departamentos que precisam realizar uma perfeita integração, estão:

  • marketing;

  • vendas;

  • produção;

  • logística;

  • financeiro.

 

  • Fideliza clientes

De fato, a principal e mais benéfica consequência de uma experiência do usuário bem trabalhada é a fidelização do cliente. Com a alta concorrência e uma entrega de serviços tão nivelada como as que existem no mercado atual, uma mudança em detalhes pode fazer toda a diferença para sua empresa.

Com certeza, com um atendimento otimizado, setores alinhados e recursos sendo mais bem utilizados, a sua empresa só ganha em reputação junto aos clientes. Assim, a fidelização se torna algo natural. Afinal, ninguém abandona uma marca que se importa com o cliente em todos os estágios de negociação.

Enfim, as vantagens da experiência do usuário são inúmeras para qualquer negócio. Porém, para resultados mais seguros, é importante desenvolver boas estratégias, como pesquisa de satisfação, automação de processos, criação de canais de atendimento, aplicação de marketing de conteúdo etc. Com os métodos corretos e uma predisposição coletiva para entregar um serviço diferenciado, o cliente e a sua marca só têm a ganhar.

Gostou do artigo? Tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto? Deixe o seu comentário.

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701

Conhece a expressão “Jobs to be Done”? Entenda seu significado

Jobs to be Done é o entendimento de que consumidores “contratam” seu produto para fazer um determinado trabalho. Um professor de marketing da Harvard Business School, Theodore Levitt, dizia: “as pessoas não querem comprar uma furadeira. Elas querem o buraco!”.

O conceito tem inspirado estudos que argumentam que muitas empresas estão se concentrando em criar produtos para segmentos demográficos, em vez de para satisfazer necessidades. Ou seja, pensam mais em “público-alvo” do que no serviço que o produto vai fazer.

Neste artigo você vai entender como o Jobs to Be Done contribui para uma melhor percepção das necessidades do consumidor e como o conceito explica o motivo pelo qual ele efetivamente o compra. Por fim, vai conhecer dicas de como usar a ideia para melhorar as vendas.

 

Jobs to be Done: a ideia que nasceu do milk-shake

Em todos os artigos sobre Jobs to be Done você vai encontrar a famosa história do milk-shake. Como a história é verdadeira e contada pelo professor Clayton Christensen, da Harvard, vale a pena.

O McDonald’s nos Estados Unidos queria aumentar suas vendas de milk-shake. Sua poderosa equipe de marketing conduziu grupos e entrevistas e perguntou aos consumidores o que poderia fazer para melhorar o produto. Eles adicionaram novos sabores e tudo o mais, mas as vendas não subiram.

Então um colega de Christensen foi a um McDonald’s e começou a observar os clientes. Ele queria saber quando os milk-shakes eram comprados e de que forma. Descobriu que muita gente comprava a bebida de manhã cedo; quando estavam sozinhos; e de carro.

Então ele entrevistou esses clientes e perguntou por que compravam milk-shake de manhã. E eles contaram que:

  • o trajeto até o trabalho todo dia, de carro, é longo e entediante;

  • por isso, compravam algo para comer. Todas as alternativas tinham problemas, porque exigem mais de uma mão para comer e/ou espalham migalhas e sujeira;

  • o milk-shake pode ser tomado com uma mão no volante e dura mais de 20 minutos: faz companhia, alimenta e é conveniente.

Resultado: o McDonald’s mudou a bebida para ficar mais densa e mais fácil de pegar para viagem. As vendas multiplicaram por sete.

Outra conclusão: o mercado de milk-shake era muito maior do que se imaginava. Porque ele estava concorrendo também com banana, rosquinha, bagel, café e todo tipo de comidinha que se consome de manhã.

 

Usando o Jobs to be Done para aumentar as vendas

Antes de adotar o conceito de Jobs to be the Done, o McDonald’s estava preocupado em melhorar aspectos que eram irrelevantes para o emprego para o qual os clientes contratavam o produto. Na sua indústria, você pode aumentar vendas ao entender que a unidade de análise não é o cliente, e sim o “job”.

A maior parte das empresas de tecnologia entende isso no marketing. As propagandas de celular mostram como a pessoa vai ser uma fotógrafa melhor com o produto, em vez de descrever suas características técnicas. Steve Jobs não vendeu o primeiro iPod dizendo que ele tinha 5 GB, mas sim que eram “1 000 músicas no seu bolso”.

O Jobs to be Done ajuda seu negócio a se concentrar no valor que o produto traz para o cliente, em vez de pensar em públicos abstratos. Ele também permite enxergar que o mercado para um certo produto pode ser bem maior do que você imagina. Quem pensar em tarefas em vez de características pode sair na frente.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário no post e nos conte uma história sobre um produto que tinha um uso diferente do que era imaginado.

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701

Entenda de uma vez por todas como funciona o ciclo do pedido

Diversos aspectos fazem parte da gestão eficiente do ciclo do pedido —  tecnologia, compartilhamento de informações e planejamento das entregas. Desse modo, é fundamental compreender o seu conceito e etapas.

Basicamente, essa tarefa corresponde a todas as atividades entre a venda e a entrega do produto, sendo que cada uma das fases deve ser executada com precisão e organização para garantir a satisfação do cliente.

Para que você entenda melhor sobre o assunto, apresentamos as principais informações de cada uma delas a seguir. Acompanhe! 

 

Como funciona o ciclo do pedido

 

  • Entrada da ordem

Esse é o momento no qual o cliente emite o pedido listando quais produtos ou materiais deseja adquirir. As principais informações que devem estar presentes são:

  • a quantidade;

  • as dimensões;

  • a data esperada da entrega.

Essa é a solução ideal para evitar que a equipe seja responsável por digitar manualmente os pedidos, o que pode gerar erros e causar atrasos no processo.

 

  • Liberação da solicitação

Após o recebimento do pedido, o sistema deve verificar as informações, e sinalizar, caso alguma inconsistência seja encontrada. Por exemplo, se o cliente tem múltiplas filiais cadastradas, é importante realizar a checagem dos dados. Em geral, essa etapa tende a ser automatizada para possibilitar a padronização das solicitações, considerando códigos de materiais, unidades de medida e tamanho dos lotes.

As condições de entrega devem ser verificadas se demandar equipamentos especiais para carga e descarga, ou outros requerimentos. Além disso, a política de crédito e formas de pagamento são definidas com base na política comercial do fornecedor.

 

  • Verificação da disponibilidade de estoque

Quando todas as informações forem conferidas, o passo seguinte deve ser verificar a disponibilidade de todos os materiais requisitados. Esse momento pode resultar em problemas para o suprimento da demanda, pois existem situações em que não há produtos suficientes.

Nesse caso, a alternativa é realizar o envio parcial do pedido para o atendimento imediato e, posteriormente, concluir a entrega com os itens que estavam em falta. Porém, essa não é solução ideal, já que eleva os custos de transporte para o envio da carga. Por esse motivo, muitos fornecedores utilizam o método VMI para acompanhar o estoque dos clientes e, com isso, projetar a sua reposição periodicamente.

 

  • Separação e conferência

Quando o pedido constar como liberado no sistema, a equipe de armazenamento deve separar e embalar as mercadorias encomendadas. Após a sua conferência, os documentos fiscais precisam ser emitidos para acompanhar a carga até o seu destino. Por fim, as mercadorias são embarcadas e o trajeto de entrega se inicia até o destinatário.

 

  • Planejamento da entrega das mercadorias

A etapa final é, também, uma das mais estratégicas para o ciclo de pedido. Afinal, consiste em todo o planejamento e controle relacionados à movimentação das cargas. Os profissionais da área logística são responsáveis por consolidar as cargas de acordo com a roteirização do sistema para otimizar as entregas. Muitas vezes, é necessário contratar transportadoras externas — quando o fornecedor não utiliza frota própria, por exemplo.

O atendimento ao cliente faz parte das obrigações da área, o que requer que esse processo seja conduzido por meio de um sistema de gestão. A consulta das etapas de produção e da localização do veículo, por exemplo, podem ser disponibilizadas para o cliente para mantê-lo informado sobre mudanças no status do pedido.

Atingir o fechamento do ciclo do pedido é uma tarefa complexa, que não se encerra quando o cliente final recebe o produto. Desse modo, é fundamental acompanhar a qualidade do serviço e buscar formas de aprimorar os resultados.

Portanto, a visibilidade sobre o processo só pode ser alcançada com a implementação de ferramentas tecnológicas voltadas para a automação e o compartilhamento de informações com parceiros e clientes.

Agora que você já conhece todo o ciclo do pedido, que tal se aprofundar sobre a etapa de armazenagem? Neste post destacamos 4 rotinas para evitar perdas no estoque. Não deixe de conferir!

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701

3 dicas infalíveis para fazer uma pesquisa de satisfação do cliente

A pesquisa de satisfação do cliente é uma ótima ferramenta para identificar se o público-alvo da sua empresa está satisfeito com os serviços desenvolvidos. Ela também ajuda a explicar porque, muitas vezes, os resultados obtidos não correspondem à constância das atividades.

Ao analisar as informações extraídas, a empresa pode aprimorar as estratégias que estão funcionando e reiniciar aquelas que não apresentam números consistentes, tudo baseado em dados seguros.

Para ajudar a sua empresa a melhorar a taxa de fidelidade, apresentaremos, neste artigo, 3 dicas de como realizar uma eficiente pesquisa de satisfação do cliente. Continue lendo e confira!

 

Como fazer uma pesquisa de satisfação do cliente

 

  • 1. Meça a satisfação geral

Para direcionar corretamente a sua pesquisa e extrair informações relevantes, é interessante começar medindo a satisfação geral. A ideia é que o cliente apresente uma opinião concreta sobre o serviço prestado.

Isso pode ser feito por meio de uma pergunta simples, por exemplo: qual o seu nível de satisfação referente ao serviço X? Com isso, você tem a noção sobre a qualidade do serviço desenvolvido aos olhos do cliente — o que ajudará a apontar as chances de fidelização por parte desse usuário.

 

  • 2. Utilize o método NPS

O Net Promoter Score (NPS) é uma das formas mais inteligentes e eficientes de mensurar a satisfação do cliente. A fácil aplicação é uma das vantagens da métrica, não sendo trabalhosa para empresa e nem para o cliente, que só precisa responder uma simples pergunta.

O NPS funciona da seguinte forma: você cria uma pergunta para que o cliente responda considerando uma escala de 0 a 10, sendo 0 “jamais recomendaria” e 10 “com certeza recomendaria”.

O questionamento pode ser algo do tipo: “quais as chances de você recomendar nossos serviços para outras pessoas?” A escala NPS deve ser divida em três grupos, são eles:

  1. clientes promotores: aqueles que dão nota 9 ou 10;
  2. clientes passivos: aqueles que dão nota 7 ou 8;
  3. clientes detratadores: aqueles que dão nota abaixo de 6.

Desses grupos, os clientes detratores são os que mais preocupam, pois são os insatisfeitos. Suas atitudes e opiniões contribuem de forma negativa para a reputação da empresa, causando até mesmo o afastamento de novos clientes.

 

  • 3. Realize avaliações online

Hoje, se existe um local onde as opiniões ecoam, é na internet. Muitas marcas, empresas, programas e pessoas são levadas ao sucesso ou ao fracasso em razão das discussões iniciadas na grande rede.

Por isso, aplicar uma pesquisa de satisfação online é crucial para uma empresa que deseja se manter forte no século XXI. Ao desenvolver um trabalho consistente e de grande valor, uma marca pode não apenas extrair as melhores opiniões dos seus clientes em avaliações online, como também melhorar a sua reputação de forma instantânea.

Quando um cliente está satisfeito com uma empresa e responde a um questionário online, as chances de ele compartilhar essa alegria com os amigos nas redes sociais são altas, transformando a pesquisa em uma publicidade involuntária.

Enfim, essas foram algumas dicas essenciais de como desenvolver uma ótima pesquisa de satisfação do cliente. É interessante que ações assim sejam implementadas em períodos fechados, por exemplo, de três em três meses — ou quando os resultados da empresa não correspondem às expectativas. Então, analise as informações apresentadas e aumente cada vez mais a satisfação dos seus clientes.

Para melhorar ainda mais a lealdade à sua marca, confira o nosso artigo sobre a utilização do chatbot no relacionamento com o cliente!

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701

Fique por dentro dos principais impactos da tecnologia na logística

Tecnologia e logística: eis uma combinação que pode resultar em grandes avanços no que diz respeito à cadeia de suprimentos e aos serviços de entrega. Em um mundo cada vez mais moderno, conectado e “impaciente”, rapidez, precisão e flexibilidade são fatores cruciais para quem deseja se destacar no mercado.

Nos últimos tempos, os avanços relacionados aos processos logísticos têm contribuído significativamente para o grau de satisfação não apenas das empresas, mas também dos seus clientes. 

Entretanto, ainda há muito a ser feito para que se possa ter uma logística que seja verdadeiramente eficiente. De qualquer maneira, mostraremos a seguir alguns dos principais impactos da tecnologia no que se refere ao setor logístico.

A leitura é interessante e por isso merece toda a sua atenção. Não perca! 

 

Benefícios da união entre tecnologia e logística

 

  • Integração dos processos 

Um dos maiores benefícios do uso da tecnologia na logística é a integração dos processos. Ao utilizar sistemas adequados, é possível visualizar e controlar todos os procedimentos que envolvem as operações do setor. Isso faz com que as atividades sejam mais bem sequenciadas, recebendo informações automatizadas e agilizando a conclusão dos trabalhos. 

 

  • Rastreamento em tempo real

O rastreamento em tempo real também é uma consequência da união entre tecnologia e logística. Nesse sentido, os softwares logísticos permitem acompanhar os status dos transportes, sinalizando as ocorrências no exato momento em que acontecem. Para os gestores, essa possibilidade proporciona tomadas de decisão mais acertadas, promovendo reduções de custos e aprimoramentos como um todo.   

 

  • Gestão de fretes

Outro impacto que merece o seu destaque é a gestão de fretes. Nesse contexto, os sistemas de tecnologia possibilitam ter um controle de custos, documentos e transportadoras muito mais preciso e eficiente. Tudo é administrado por meio de um único painel de visualização, de forma simples e fácil: levando como exemplo as plataformas de SCM (Supply Chain Management). 

 

  • Redução de ciclo dos pedidos

A tecnologia na logística também contribui para a redução de ciclo dos pedidos, que nada mais é do que o tempo que eles levam para ser entregues aos clientes, a partir do momento em que as compras foram realizadas. 

O que faz disso uma verdade são os 3 impactos anteriores: a integração dos processos; o rastreamento em tempo real; e a gestão eficiente dos fretes. O ponto a salientar, nesse caso, é que ao utilizar softwares apropriados para o setor logístico, você conseguirá aprimorar as entregas pelo fato de que terá o conhecimento de quem são as melhores transportadoras, quais sãos as estratégias mais eficientes etc. 

É de fundamental importância investir em soluções para o gerenciamento do estoque. Sem uma boa ferramenta para tal, aperfeiçoar as operações logísticas como um todo será um tanto quanto difícil, para não dizer impossível.

Além disso, em se tratando de tecnologia e logística, não se pode esquecer de que um bom controle desse aspecto também interfere nos níveis de satisfação do cliente. Imagine o quão insatisfeita a pessoa ficaria se, depois de comprar um produto, recebesse a notícia de que ele não está disponível em estoque e por isso terá que esperar mais para recebê-lo.

Portanto, entre em contato conosco agora mesmo para conhecer as nossas soluções. Estamos prontos para atendê-lo e tirar todas as suas dúvidas!

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701

Entenda como funciona o sistema OTC (Order to Cash)

Um processo logístico bem definido e estruturado de forma eficiente é peça fundamental para a melhoria da qualidade operacional de uma empresa.

Existem algumas ferramentas que, se bem utilizadas, garantem mais agilidade no processo de fabricação e entrega, além de proporcionarem uma melhora no preço final, tornando seu produto ou serviço mais competitivo perante a concorrência.

Pensando nisso, abordaremos neste post, as utilidades e facilidades que o sistema Order to Cash podem trazer para a sua organização. Você quer saber mais? Então acompanhe conosco!

 

O sistema Order to Cash

Conhecido também como O2C ou OTC, o Order to Cash refere-se a uma expressão bastante comum no ambiente de logística e Supply Chain que diz respeito ao ciclo completo: desde o pedido até a entrega. O Order to Cash é um dos fluxos mais importantes dentro de uma empresa e sua cadeia de suprimentos.

Trabalhando este processo, conseguimos verificar todo o caminho percorrido durante um negócio, incluindo a análise de crédito, separação de estoque e todos os demais passos que você desejar acompanhar até o momento em que o produto chega ao consumidor. Essa atividade é aliada a um sistema financeiro que visa, inclusive, atender a todos os processos fiscais e contábeis da venda.

 

O processo do dinheiro

De modo resumido, esse é um dos principais objetivos de se trabalhar com um sistema order to cash: saber o caminho do seu “dinheiro”. Também é importante entender como os recursos financeiros trocam de mãos dentro do processo de abastecimento.

Assim que um novo pedido de um cliente entra na base de dados da sua empresa, um contrato de venda é criado e uma análise de crédito é estabelecida. Informações são enviadas para o setor de produção e estoque, as encomendas são entregues, o pagamento processado, tudo de forma sistematizada. Esse tipo de integração é uma das principais vantagens oferecida pelo sistema de gestão baseado no OTC.

Uma ferramenta de automação baseada no OTC garante que este fluxo ocorra de maneira otimizada, guardando os dados do cliente e da compra para futuras análises do processo, e até mesmo para garantir um padrão de processo e qualidade.

 

As etapas do processo OTC

Cada cumprimento de etapa do sistema Order to cash é importante, pois este é o lugar onde se reúnem todas as informações a fim de tornar as entregas da cadeia de abastecimento mais otimizadas. A lógica básica é: com o pedido feito, os produtos encomendados pelo cliente devem ser fisicamente removidos do estoque ou fabricados. A etapa seguinte é a sua preparação para a expedição e entrega ao cliente.

Para garantir que a ordem de compra possa ser cumprida e atender às necessidades dos clientes em tempo hábil é fundamental acompanhar as atividades das áreas de:

Nas etapas finais do processo, contamos com o faturamento da nota, cobrança e aplicação de caixa. Na etapa referente ao serviço de faturamento e cobrança, é preciso implementar um acompanhamento contínuo de todos os pagamentos de faturas de entrada e trabalhar com seus clientes a fim de manter seu fluxo de caixa.

A inadimplência é um desafio real que afeta o fluxo de caixa de diversas organizações e que deve tratado com atenção. Portanto, busque implementar formas enviar lembretes de pagamento para os clientes quando a data de vencimento estiver próximo. Caso essa iniciativa falhe e o pagamento se encontre em atraso, é importante lidar com a cobrança de forma profissional e amigável para manter a relação comercial.

 

Os relatórios e as análises

Um dos processos mais importantes que um sistema de automação pode oferecer é a possibilidade de retirada de relatórios para análises. Quando a base da ferramenta é o sistema OTC, você consegue dados de todos os processos pelos quais o pedido passou.

Uma análise profunda dos relatórios gerados permite que a sua empresa trabalhe para impedir erros e ganhar visibilidade em padrões de pedidos dos clientes, pagamentos, as tendências de produtos, otimização logística e uma variedade de outras percepções de negócios que podem levar a melhorias operacionais e inovações para o seu empreendimento.

 

  • Visibilidade sobre todo o processo

O atendimento de um pedido é a conclusão de uma longa cadeia de atividades executadas por áreas distintas. Contudo, a visibilidade sobre o input de cada área deve ser registrada no sistema para permitir a rastreabilidade de um produto acabado desde a aquisição das matérias-primas.

Assim, o gestor consegue acessar o pedido de compra, a ordem de saída do material que vai para a linha de fabricação. Em seguida é possível acompanhar o seu faturamento acompanhado da solicitação de frete referente a sua entrega ao cliente final.

 

  • Suporte para a tomada de decisão

No cotidiano do gestor são tomadas decisões relacionadas a vários aspectos da gestão do negócio. Decisões que podem influenciar o futuro da empresa, o seu posicionamento estratégico e a sua capacidade de crescer no mercado.

Por isso, é tão importante contar com sistemas capazes de transformar o registro das transações em relatórios que refletem a realidade da organização em um dado momento. Quanto mais claras e objetivas foram os dados melhor será a visibilidade do gestor sobre os aspectos mais relevantes da organização.

 

  • Acompanhamento do desempenho da operação

Os resultados de uma empresa não dependem somente do volume de lucratividade no período. Contudo, problemas na operação direta tem relação direta com a capacidade de obter maiores lucros. A criação e a adoção de indicadores de desempenho é um fator que permite acompanhar o alcance das metas organizacionais. O principal aspecto dessa tática é a capacidade de identificar desvios dentro do processo que podem comprometer a operação.

A queda da produção, desperdício de insumos e falhas nos equipamentos são acontecimentos que podem ser observados nos relatórios e, assim, a equipe pode propor soluções para a sua correção.

 

A melhoria no relacionamento com o cliente

Este é outro ponto importante para quem trabalha com o order to cash. Com um processo bem definido e controlado, as chances de erros são bem menores. Por isso, a manutenção do histórico de compras de cada cliente é tão importante para antecipar as suas necessidades.

Por isso, a avaliação da frequência de compras, volume encomendado e as especificações de cada ordem fornecem informações importantes para aprimorar o atendimento ao cliente.

Com um cronograma alinhado e as metas de etapas cumpridas, o cliente tende a ficar mais satisfeito e o relacionamento da sua empresa com ele se torna mais duradouro. Uma relação de confiança se estabelece e se fortalece quando um processo funciona de forma eficaz.

 

A diminuição de ineficiências operacionais

Devido à natureza complexa do processo OTC, mais de 30% dos custos operacionais do seu departamento de contabilidade são alocados para apoiar este sistema. Além disso, trata-se de um processo multidepartamentos, já que toda a empresa está envolvida nele: Marketing, Vendas, Contabilidade, Inventário, Produção, Distribuição, Supply Chain e Logística.

Com isso, devido ao fato da responsabilidade pela ordem de processamento passar em vários departamentos, uma ineficiência operacional é facilmente identificada. Como erros no processamento do pedido, erros na política de preços e na programação da entrega. Esse tipo de atividade tem que ser pautada na melhoria contínua na qual erros e inconsistências são corrigidos imediatamente para evitar maiores problemas.

Com a metodologia Order To Cash, a empresa consegue melhorar suas receitas, custos, capital de giro e satisfação do cliente. O seu sucesso é possibilitado pela simplificação de processos e pelo amplo compartilhamento de informações entre as áreas envolvidas.

Agora que você já está bem informado sobre o fluxo que parte do recebimento do pedido até o seu pagamento, está na hora de expandir os seus conhecimentos. Confira também o post no nosso blog sobre o que seus fornecedores precisam para alinhar o processo logístico

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI – Vendor Managed Inventory e SCM – Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701

Confira 3 dicas incríveis para fazer um excelente atendimento ao cliente via e-mail

Muitas empresas acabam deixando o atendimento ao cliente via e-mail de lado. Isso acontece porque podem surgir alguns desafios no meio do caminho, como a confidencialidade de dados, atendimento inadequado e até mesmo o domínio da norma culta pelos atendentes.

No entanto, fazer bom uso desta ferramenta pode ajudar a gerenciar a empresa, diminuir os problemas e obter excelentes resultados. E para usar essa ferramenta, é preciso tomar algumas ações.

Para ajudar você nessa jornada, separamos algumas dicas de como otimizar o seu atendimento ao cliente via e-mail. Quer ver mais? Continue lendo o nosso post!

 

Veja 3 maneiras de potencializar o atendimento ao cliente via e-mail

Até agora vimos que existem alguns problemas que podem surgir ao usar o e-mail para atender aos clientes. Mas, também existem táticas que ajudam você a estabelecer uma boa comunicação com o consumidor.

 

  • 1. Definir prazos de atendimento

Uma dica para fazer um atendimento ao cliente via e-mail de excelência é criar um Acordo de Nível de Serviço  —  SLA (Service Level Agreement)  —  interno. Neste caso, o SLA funcionará como um acordo que define as responsabilidades do time e alinha como os funcionários devem colaborar entre si nas diferentes etapas da jornada do cliente

Assim, é possível acompanhar de perto o tempo de resposta que cada um dos seus colaborados tem para com o cliente. O consumidor, principalmente em situações críticas (reclamações ou suporte) precisa receber respostas rapidamente, por isso tenha bem claro qual deve ser o prazo para isso.

 

  • 2. Padronizar respostas para problemáticas mais comuns

Criar templates de e-mail é uma excelente maneira de diminuir o tempo de resposta ao seu cliente. Também vai ajudar você a aumentar a qualidade da comunicação com o consumidor. Afinal, será possível criar uma identidade da sua marca e as chances de o atendente cometer erros ortográficos ao digitar ficará bem menor.

 

  • 3. Organizar por ordem de prioridade

Os e-mails que são enviados por seus colaboradores devem ser padronizados. Podem ser definidos títulos e criadas pastas para todos os responsáveis. Assim, é possível melhorar a organização e ter sob controle as informações que são passadas.

Outra dica é criar fluxos de trabalho para cada tipo de solicitação feita pelo seu cliente. Dessa forma, o processo terá maior clareza para todos os envolvidos e diminuirão as chances de um pedido ficar esquecido.

 

Conheça os benefícios de usar o e-mail para atender aos clientes

Muitos clientes preferem entrar em contato por e-mail com uma empresa no lugar de usar outros canais. Isso acontece porque esse método oferece:

  • discrição: não é preciso usar o telefone, situação na qual outras pessoas podem ouvir a conversa;

  • conveniência no prazo de atendimento: o cliente apenas manda o e-mail e sabe que receberá uma resposta em pouco tempo. Nesse período ele pode fazer outra coisa, não é necessário ficar aguardando no telefone todos os passos;

  • confiabilidade: as solicitações feitas ficam registradas. Sempre que necessário é possível consultá-las.

À medida que adotar na sua empresa as sugestões que apresentamos, você perceberá que ficará cada vez mais próximo do seu cliente, desenvolvendo um bom relacionamento com ele. Isso vai ajudar a aumentar a satisfação de cada cliente, fidelizar o consumidor e aumentar cada dia mais a rentabilidade do negócio.

Gostou de conhecer estas 3 dicas de como fazer um excelente atendimento ao cliente via e-mail? Já coloca alguma delas em prática? Compartilhe a sua experiência com a gente! Comente no post!

 

ORBIT Logistics é um dos principais fornecedores mundiais de soluções de gerenciamento de estoque (VMI — Vendor Managed Inventory e SCM — Supply Chain Management) e aquisição de dados em tempo real.

Nossa empresa, fundada em 2003, fornece um sistema modular para gerenciamento e automação da cadeia de suprimentos, atendendo clientes globais a partir de escritórios em Leverkusen (Alemanha), Atlanta (EUA), São Paulo (Brasil) e Shanghai (China). Uma equipe altamente qualificada, composta por mais de 40 engenheiros e técnicos, oferece soluções “turn key” personalizadas para gestão e monitoramento de processos.

Para mais informações:

ORBIT Logistics Brasil
www.orbitlog.com.br
dante@orbitlog.com.br

Tel.: (11) 3796-1755 / 1756
Cel.: (11) 96420-1701